fbpx

Por Cesar Matiusso e Amilton Reis

É com uma única palavra e nenhuma hesitação que, muitas vezes, vejo o mandarim ser classificado: “impossível”. Dos ideogramas, dizem que se trata de um emaranhado intrincado e indecifrável. Já o som da língua seria uma mistura de fonemas que causam estranheza máxima aos ouvidos de um ocidental. Quem ouviu falar dos tons, então, conta apavorado que “a mesma palavra falada um pouquinho diferente vira outra coisa!” Assim eu vi a língua chinesa ser barbaramente resumida incontáveis vezes, mas nenhuma delas por quem tentou aprender mandarim ou dedicou algum tempo para entender melhor o que ele é e como funciona.
Como toda língua, o chinês tem suas muitas particularidades e algumas boas dificuldades. A escrita chinesa, por exemplo, é mesmo um sistema complexo – mas fascinante na mesma medida –, e sua fonética exige certa aclimatação a alguns sons que não temos no português. Ainda assim, isso não justifica as alcunhas de “impossível” e “coisa de doido” que tanto se ouvem por aí.
Quem dá uma chance ao chinês – na verdade, a chance que se dá é sempre a si mesmo: a de aprender uma língua nova! – encontra muitas surpresas pelo caminho. Talvez a maior delas seja descobrir que o mandarim é, afinal, um idioma marcado pela simplicidade. E não seria essa a maior das sofisticações? Afinal, a concisão do mandarim é resultado de uma longa evolução.
A seguir, você confere alguns itens da gramática chinesa que, de tão simples, às vezes fazem a gente se perguntar: “Mas é só isso?”

Artigos

No português, eles são vários, e podem ser “definidos” (o, a, os, as) ou “indefinidos” (um, uma, uns, umas). No chinês eles não existem, mas a língua possui outras maneiras de expressar definição e indefinição. Os pronomes demonstrativos – 这 zhè (este) e 那 (aquele) –, por exemplo, também servem para dar a noção de definição, da mesma forma que em português, enquanto os numerais podem indicar indefinição. Além disso, o conceito pode ser indicado pela posição do substantivo antes ou depois do verbo:

a) antes do verbo: definido
客人来了。 kèrén lái le
O visitante chegou

我买了。 shūmǎi le
Comprei o livro

b) depois do verbo: indefinido
客人了。 lái kèrén le
Um visitante chegou / Chegou um visitante

我买了mǎi le shū
Comprei um livro

Plural

Substantivos e adjetivos, em português, têm singular e plural. Em mandarim, não existe essa diferenciação. Assim, dúvidas como “qual é o plural de chapéu?” nunca aparecem. A informação de número ou quantidade é expressa por meio de numerais e advérbios de quantidade, além do próprio contexto da frase:

我有很多中国朋友Wǒ yǒu hěn duō zhōngguó péngyǒu
Eu tenho muito[s] amigo[s] chines[es].

他是我的朋友Tā shì wǒ de péngyǒu
Ele é meu amigo.

Apesar de os substantivos não serem flexionados em número, o sufixo 们 men serve para expressar a ideia de plural em pronomes e substantivos que se refiram a pessoas, como lǎoshīmen 老师们 (professores), em oposição a lǎoshī 老师 (professor).

Números Ordinais

Enquanto, em português, aprendemos uma nova palavra para cada numeral ordinal (primeiro, segundo, terceiro, quinquagésimo, centésimo etc.), no chinês se acrescenta o prefixo 第 antes do cardinal. Se 三 sān é “três”, 第三 dìsān será “terceiro” e assim por diante. Uma única sílaba é usada para formar todos os números ordinais.

Pronomes

Os pronomes pessoais e possessivos do chinês são muito fáceis de aprender: basta conhecer as três formas 我 (eu), 你 (tu/você) e 他 (ele/ela) e as partículas de plural 们 men e de posse 的 de para formar todos eles. Assim, temos 我们 wǒmen (nós), 你们 nǐmen (vós/vocês), 他们 tāmen (eles). É só adicionar a partícula 的 de para transformar qualquer pronome pessoal em possessivo: 我 (eu), 我的 wǒde (meu); 我们 wǒmen (nós), 我们的 wǒmende (nosso) e assim por diante. E por não haver diferenciação de plural – como entre nosso e nossos – ou gênero – como entre meu e minha –, o número de variações diminui dramaticamente.
Na língua de Camões, os pronomes pessoais têm formas diferentes conforme desempenham a função de sujeito ou objeto. Por isso temos de usar “eu” e “me” para dizer algo como: Eu vi a Maria, mas a Maria não me viu. No chinês, essa diferenciação… não existe! Os pronomes mantêm sua forma em todos os casos. Na mesma frase em chinês, 我 (eu, me) não varia:

看到玛丽亚,但玛丽亚没看到
kàn dào mǎlìyà,dàn mǎlìyà méi kàn dào
Eu vi a Maria, mas a Maria não me viu.

Aumentativos, diminutivos, comparativos e superlativos

Palavras como os comparativos maior, menor, melhor, pior são formadas em chinês com o acréscimo da expressão 比较 bǐjiào (comparativamente) ao próprio adjetivo a que elas se referem. Não é necessário aprender o comparativo específico para cada caso: basta dizer 比较 mais o adjetivo. Quando o contexto é suficientemente claro, até a palavra bǐjiào é dispensável.
Por exemplo:

hǎo (bom) 比较好 bǐjiào hǎo (melhor)
(grande) 比较大 bǐjiào dà (maior)

Formas aumentativas e diminutivas também não existem em chinês; usam-se simplesmente 大 (grande) e 小 xiǎo (pequeno):

大男人 dà nánrén homenzarrão
小盒子 xiǎo hézi caixinha

Apesar da facilidade, sabemos como é bom poder dizer que se vai “tomar um chocolate quentinho” – por isso, é bom lembrar que há algumas soluções muito expressivas construídas com reduplicações (isto é, a repetição de uma mesma sílaba), como em

喝一杯热热的巧克力
hē yī bēi rèrè de qiǎokèlì,
tomar um chocolate quentinho

a repetição de 热 (quente) nesta frase exprime a ideia de “quentinho”.
Nos superlativos do chinês, as formas são indicadas pela partícula 最 zuì (o mais), que pode anteceder qualquer adjetivo. Também não existem formas como “dulcíssimo” e “paupérrimo”, que podem ser expressos em mandarim com palavras como 非常 fēicháng (extremamente) e 特别 tèbié (especialmente) antecedendo o adjetivo.

最好 zuìhǎo = o melhor
特别甜 tèbié tián = especialmente doce, dulcíssimo

Conjugação verbal

Em mandarim, os verbos não são flexionados, o que tira do caminho algumas das maiores dificuldades na aprendizagem de qualquer idioma: as conjugações verbais e, claro, os verbos irregulares. Para se ter ideia do quanto isso é significativo, a conjugação de um único verbo regular no português pode ter mais de 70 formas (lavo, lavava, lavaremos, lavássemos, lavem…). Se incluirmos as conjugações pronominais (lavar-se), esse número passa de 100. Enquanto isso, no chinês, uma forma única é adotada em todos os casos: para todas as pessoas do singular e plural, em todos os tempos verbais. Por conta disso, é preciso lembrar que o sujeito geralmente aparece nas orações para evitar ambiguidades, e os tempos verbais são sinalizados pelo contexto:

我们明天什么? wǒmen míngtiān chī shénme?
O que vamos comer amanhã?

过中国菜吗? chī guo zhōngguócài ma?
Você já comeu comida chinesa?

他们天天米饭。tāmen tiāntiān chī mǐfàn.
Eles comem arroz todos os dias.

O festival da gramática fácil não termina por aqui. Para descobrir mais sobre ela, você precisa se dar aquela chance. A gente se vê no Instituto Confúcio!